Franquias

É melhor investir em franquia ou negócio próprio?

Muitas pessoas sonham em abrir seu próprio negócio, mas poucos se aventuram nesta jornada.

Uma dúvida recorrente entre os investidores e (futuros) empreendedores é sobre qual a melhor opção: começar um negócio do zero ou abrir uma franquia.

Nos dois casos há prós e contras, portanto, é preciso avaliar cada item com atenção e alinhar com o perfil do empreendedor.

Qual oferece menos risco?

De modo geral, a franquia é um modelo que já foi testado e aprovado pelo público. Justamente por este motivo é replicada para outras regiões e donos, sendo um modelo considerado mais seguro.

Além disso, o percentual de mortalidade de negócios próprios ao final do primeiro ano é de 26% na área de varejo e 23% entre pequenos negócios, contra apenas 3% no segmento de franquias (estudo realizado pela Rizzo Franchising em 2015).

 

Liberdade do empreendedor

Ao abrir o negócio próprio, o empreendedor pode escolher como serão as “regras do jogo”. Determina quais produtos e serviços oferecer, como será o projeto arquitetônico, dentre outras decisões a considerar.

Este é um ponto positivo para os mais experientes, que não querem ficar presos a um modelo pronto, como o de franquias.

Já para os menos experientes, as franquias podem ser a melhor escolha, pois possibilitam pular algumas etapas, tendo o negócio já estruturado. As vantagens vão desde a orientação para escolher a região e ponto comercial ao suporte operacional.

Neste caso, é preciso fazer uma concessão: a liberdade de gostos pessoais pela segurança de um negócio formatado já validado.

 

E se precisar de um empréstimo?

Ao pensar num novo negócio, nem sempre o empreendedor possui todo o capital para investir. Assim, se houver a necessidade de um empréstimo, as franquias podem ser a opção mais atrativa.

Conseguir crédito no banco torna-se mais fácil, pois o franqueado consegue uma linha de crédito especial, tendo a franquia como órgão garantidor.

 

Uma fatia do lucro: tudo tem seu preço

Aqueles que possuem negócio próprio detêm de todo lucro da empresa. Já os franqueados precisam desembolsar taxas que vão para as franquias, afinal é assim que as redes conseguem lucros.

Em geral, são cobradas três taxas: a de franquia, paga quando o contrato é assinado, taxa de royalties,  que corresponde a um percentual do faturamento pago mensalmente ao franqueador e taxa de marketing, que serve para custear a divulgação da rede.

Muitos podem achar que não vale a pena pagar estas taxa. Contudo, este é o preço que se paga para entrar no mercado com know-how de sucesso, suporte durante o processo de operação, treinamentos, dentre outras vantagens.

Por isso, ao escolher um modelo de franquia é essencial ficar atento não apenas às taxas, mas também ao tipo de suporte oferecido.

 

E aí conseguiu decidir se prefere investir suas fichas em uma franquia ou negócio próprio?

Post anterior Próximo post

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário